Exames laboratoriais: quais fazer e por quê

Exames laboratoriais: quais fazer e por quê

Olá! Espero que você e o seu fígado estejam bem. Mas, para se certificar disso não adianta usar estetoscópio nem apalpar o lado direito do abdômen, logo abaixo das costelas, onde o órgão fica.

O único jeito de saber o que passa com ele, é fazendo exames laboratoriais.

Eles servem para rastrear riscos para doenças do fígado em quem tem histórico familiar ou predisposição, caso de alcoólicos, quem está em uso de medicamentos e toma muito anabolizante.

Esses mesmos exames são usados para monitorizar quem já tem doenças hepáticas e verificar se essa pessoa está reagindo bem ao tratamento.

Como esses testes têm nomes complicados, vou dividir este vídeo em duas partes, para facilitar o entendimento.

Neste aqui, vou focar nos exames que avaliam as enzimas hepáticas.

No próximo, esclareço sobre a medição das proteínas e da bilirrubina, combinado?

Então, vamos lá.

Enzimas hepáticas são proteínas celulares que ajudam importantes reações químicas que ocorrem no corpo.

Entre as enzimas mais comumente dosadas estão a ALT, que é a abreviação de alanina aminotransferase;

a AST, ou aspartato aminotransferase;

a FALC, como a gente se refere à fosfatase alcalina;

e a gama-GT, de gama glutamil transpeptidase.

Fique tranquilo que você não precisa gravar nenhum desses nomes. Basta ficar atento ao aumento dos níveis de qualquer uma dessas enzimas. Essas elevações acima das taxas indicadas podem sugerir lesão do fígado, ou seja, lesão das células hepáticas e das células dos ductos biliares. Esses ductos biliares formam canais que carregam a bile, um líquido que contém substâncias produzidas pelo fígado e necessárias para a digestão; e, quando tem dificuldade na sua eliminação ou estão entupidos, o metabolismo das gorduras fica prejudicado.

Se o problema não for identificado e tratado, a situação pode se agravar.

E não precisa chegar a isso. Basta incluir os exames de fígado no seu check-up anual. E, diante de qualquer alteração, consulte um gastroenterologista com título de especialista em hepatologia pela Sociedade Brasileira de Hepatologia. Não deixe de se cuidar. Um abraço, e até o próximo AI, MEU FÍGADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp