Doença da vesícula biliar e o fígado

Olá! Espero que você e seu fígado estejam bem. E, para se manter assim, sugiro que você estenda os cuidados à sua vesícula biliar.

Estou falando daquele órgão pequeno, localizado logo abaixo do fígado, que parece uma bolsinha.

Nela fica guardada a bile, um líquido produzido pelo fígado que ajuda na digestão. Isso porque há um ducto que conecta a vesícula ao fígado e ao intestino, e é por esse canal que a bile é liberada à medida que o estômago e o intestino necessitem digerir os alimentos.

Diante disso, nem precisa ser médico para saber que o melhor jeito de prevenir problemas na vesícula biliar é evitando ou diagnosticando doenças que dificultam a eliminação da bile, certo?

Mas o bloqueio da bile pode acontecer por vários motivos.

Por exemplo, a presença de pequenas pedras, os cálculos biliares, que são mais comuns em quem tem histórico na família, sofre com o mau funcionamento do intestino e faz reposição hormonal.

Daí a importância das mulheres ficarem ainda mais atentas.

Também precisa redobrar o cuidado quem tem mais de 60 anos, exagera no consumo de açúcar e gordura e é obeso, porque geralmente a bile está supersaturada com colesterol – o que aumenta o risco para uma doença da vesícula biliar e fatalmente vai impactar no funcionamento do fígado.

A presença de pedras na vesícula também pode estar associada com frequência em pacientes com cirrose hepática assintomática.

Como a vesícula biliar não costuma dar sintomas de que algo vai mal, mantenha uma vida saudável, controle o ganho de peso e inclua o fígado e a vesícula biliar no seu check-up anual. Na dúvida, consulte um gastroenterologista com título de especialista em hepatologia pela Sociedade Brasileira de Hepatologia. Eu fico por aqui. Obrigado, um abraço e até o próximo AI, MEU FÍGADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp