Coronavírus e pacientes hepáticos

Coronavírus e pacientes hepáticos

Olá. Espero que você e seu fígado estejam bem. E, para continuar assim, quero reforçar alguns esclarecimentos dados pela Sociedade Brasileira de Hepatologia.Os impactos do coronavírus no fígado estão sendo estudados. Portanto, novas informações ainda podem surgir. Mas, vou resumir aqui o que já se sabe a partir do estudo de alguns casos. Vamos lá:

  1. O paciente hepático com sintomas leves de coronavírus pode ter um aumento passageiro das enzimas hepáticas, o que não causa danos ao fígado e, portanto, dispensa a necessidade de tratamento. Já se os sintomas do coronavírus forem graves, o médico deve considerar que o diagnóstico de lesões no fígado tenha relação com o covid-19.
  2. Vários pacientes hepáticos com coronavírus apresentaram alterações em seus exames, o que levantou algumas hipóteses. Entre elas, a de que o covid-19 possa favorecer a piora das doenças colestáticas, aquelas que atingem os ductos que levam a bile produzida no fígado até o intestino. Também foi sinalizado o risco de que o coronavírus possa aumentar as bilirrubinas e, em casos graves, reduzir a albumina. Uma oscilação que pode indicar problema hepático.
  3. Durante a pandemia, as medicações imunossupressoras devem continuar sendo tomadas conforme a prescrição médica. Isso vale tanto para quem fez transplante de fígado quanto para quem tem hepatite autoimune, quando a inflamação do órgão é provocada pelo próprio sistema imunológico.
  4. Quem tem doença hepática e apresentar febre ou problemas respiratórios deve entrar em contato com o médico, para checar a necessidade de procurar um serviço de urgência.
  5. Sintomas digestivos, como diarreia e dor abdominal, podem ser sinais de infecção por coronavírus, mesmo que a pessoa não tenha problemas respiratórios.

 Portanto, fique atento. E cuide-se.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp