Julho Amarelo: como e por que celebrar

Julho Amarelo: como e por que celebrar

Me entristece saber que no Brasil tanta gente ainda tem hepatite. Não precisava ser assim, já que as vacinas contra as hepatites A e B fazem parte do calendário do Ministério da Saúde. E o adulto que não sabe se foi imunizado na infância pode se vacinar a qualquer momento. Basta ir a um posto de saúde. Isso é fundamental porque a hepatite A é transmitida por água e alimentos contaminados, algo que até quem não come fora de casa está sujeito. O mesmo vale para a hepatite B, que é passada pelo sangue e pode acometer quem faz sexo sem proteção, recebeu transfusão de sangue, fez alguma cirurgia, tem tatuagem ou piercing, compartilha alicate na manicure ou usa drogas injetáveis.
A hepatite C também é transmitida pelo sangue. Apesar de não ter vacina, os medicamentos atuais podem controlar ou até curar a doença, evitando que ela evolua para uma cirrose ou câncer hepático. O desafio, portanto, está no diagnóstico, feito num teste rápido no SUS ou no sistema de saúde suplementar. Se der positivo, consulte um gastroenterologista especialista em hepatologia, que vai solicitar exames laboratoriais, para se certificar do resultado, e, se for o caso, iniciar o tratamento.
Cuide-se, ok? Nos vemos no próximo AI, MEU FÍGADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp