Série Álcool e Fígado: Os efeitos nocivos do álcool no fígado

Série Álcool e Fígado: Os efeitos nocivos do álcool no fígado

Beber não é proibido. Tanto que o fígado tem capacidade de metabolizar o álcool. O problema está no consumo excessivo, que pode causar uma série de problemas. Entre eles:– esteatose hepática, que é o acúmulo de gordura no fígado;– hepatite alcoólica, uma inflamação do fígado;– e cirrose hepática alcoólica, que são cicatrizes que prejudicam o funcionamento do órgão.  Na esteatose, exames identificam os danos iniciais ao fígado, que tendem a desaparecer se a pessoa parar de beber.
Já na hepatite alcoólica a coisa se complica, porque a inflamação prejudica severamente o órgão. Dependendo da intensidade da inflamação e da fibrose, deixar de beber pode não ajudar o fígado a não voltar ao normal. Porém, evita que essas lesões causem cicatrizes e evoluam para a cirrose, quando o fígado pode parar de funcionar. Daí, o único tratamento é o transplante. E só vai para a lista quem fica pelo menos seis meses sem colocar uma gota de álcool na boca.
Sei que não é fácil. Mas, com minha experiência de 45 anos como hepatologista, eu lhe garanto que tem mais chances de sucesso quem se permite ser cuidado por uma equipe multidisciplinar, da qual o gastroenterologista especialista em hepatologia faz parte.
Peça ajuda.Permita-se ser ajudado.Um abraço, e até o próximo AI, MEU FÍGADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp