Série Álcool e Fígado: Cirrose não é sentença de morte

Série Álcool e Fígado: Cirrose não é sentença de morte

É impossível prever como a cirrose irá progredir e, portanto, dizer quanto tempo de vida um paciente tem. Claro que há estimativas. Mas, não se pode esquecer que cada organismo reage de um jeito à doença. Além disso, há fatores de risco que podem acelerar esse processo. E é sobre eles que quero falar, já que o paciente tem o poder de controla-los com ajuda especializada.
Entre os mais importantes estão: seguir à risca o tratamento médico, controlar o peso, pois a desnutrição é comum em alcoólicos, praticar atividade física e fazer uma dieta rígida, com ingestão correta de proteínas e de vitaminas. E, claro, a mais fundamental das atitudes: abandonar de vez o vício.
Estudos observaram que eliminar o fator causador da cirrose alcoólica pode levar a uma incidência menor das complicações e até evitar ou atrasar a progressão da doença. Bons motivos para lutar, não acha?
Na dúvida, consulte um gastroenterologista especialista em hepatologia e de preferência com uma equipe multidisciplinar especializada em alcoolismo. Eu fico por aqui. Um abraço, e até o próximo AI, MEU FÍGADO. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp