Série Álcool e Fígado: Cirrose e complicações do fígado

Série Álcool e Fígado: Cirrose e complicações do fígado

O consumo excessivo de álcool provoca cicatrizes com fibrose que retraem o tecido do fígado, deixando-o menor e endurecido. Portanto, com dificuldade de exercer funções essenciais, como armazenar e liberar glicose, que é a grande fonte de energia do corpo; e metabolizar tudo o que é ingerido via oral. A eliminação de toxinas também fica comprometida, podendo causar confusão mental. Os níveis de albumina e globulinas se alteram, favorecendo o aparecimento de inchaço e infecções. Algumas proteínas da coagulação não são produzidas e podem aparecer distúrbios hemorrágicos pelo nariz, gengivas, na pele e em outros órgãos. E a rigidez do órgão dificulta a entrada de sangue no próprio fígado. Isso aumenta a pressão de uma veia chamada porta e pode levar à formação de varizes no esôfago, com risco de romper e causar hemorragias digestivas na forma de hematêmese, que são vômitos de sangue, e/ou melena, o sangramento pelas fezes.
Por tudo isso e muito mais é que o paciente precisa parar de beber definitivamente e manter o acompanhamento médico, que regularmente pedirá exames que podem ajudar a prevenir complicações ou pelo menos retardá-las.Cuide-se. E consulte um gastroenterologista especialista em hepatologia.Um abraço, e até o próximo AI, MEU FÍGADO.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp