Tumor no fígado: nem sempre é câncer

Tumor no fígado: nem sempre é câncer

É relativamente comum homens e mulheres apresentarem um nódulo ou uma massa no fígado e os exames constatarem não ser câncer. Mas, sim, um tumor benigno. Não precisa ter pânico. Mas, também não dá para relaxar. Mesmo sendo benigno, o tumor pode estar associado a complicações.

Entre os tumores benignos, os mais comuns são hemangioma, hiperplasia nodular focal e adenomas.

O hemangioma, por exemplo, é um pequeno nódulo formado por um emaranhado de vasos sanguíneos que, na maioria dos casos, a pessoa convive com ele sem ameaçar sua saúde, nem evoluir para a malignidade.

O tratamento só é feito se o paciente tiver sintomas, como sensação de compressão do estômago quando volumosos e dor abdominal. Porém, se os exames mostrarem que o hemangioma está crescendo e tem risco de sangrar, ou estar produzindo um distúrbio da coagulação localizada e destruição dos glóbulos vermelhos, pode ser necessário fazer uma cirurgia para retira-lo. Mas, é raro que isso aconteça.

Já a hiperplasia nodular focal e os adenomas podem estar associados ao uso de anticoncepcionais. Os adenomas podem evoluir para o câncer primário de fígado ou podem romper produzindo hemorragias. A hiperplasia nodular focal, como o hemangioma, tem uma evolução benigna. Fique atento. E, na dúvida, consulte um gastroenterologista especialista em hepatologia.

Um abraço, e até o próximo AI, MEU FÍGADO!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Precisa de ajuda? Whatsapp